agosto 25, 2008


Pela janela a brisa do mar, pela cabeça uma nostalgia e indolência inquietante.
P.S. Pela praia nada de refrescante, apenas o tempo.

Sem comentários: